É errado o cristão casar com uma pessoa mais velha?!

"Não é bom proceder sem refletir, e peca quem é precipitado". (Provérbios 19:2)

Escrever coisas sobre a vida dos cristãos é algo extremamente delicado. Por isso procuro ao máximo, em todos os meus artigos, ter respaldo bíblico. Do contrário seria apenas mais uma mera opinião, como tantas outras que já lemos na internet. E as pessoas, mesmo cristãs, reagem de formas diferenciadas quando são confrontadas com textos que abordam áreas de sua vida. Uma das reações é procurar se orientar, ler mais a Palavra de Deus, e pensar mais nas consequências de seus atos. Outra reação, infelizmente, é o ódio!

É errado o cristão comerciante vender bebidas alcoólicas?

No Brasil, vender cerveja, principalmente em época de verão, é um negócio de retorno praticamente garantido. O calor de rachar num país de clima tropical, a força da mídia indicando-a como solução refrescante, e o convite dos amigos ao bar da esquina, faz a cerveja vender, e muito! Em uma das igrejas de nossa convenção há um irmão, o Valquer, que é proprietário de uma lanchonete razoavelmente grande e bem localizada. 

É errado o cristão ir assistir os fogos de Ano Novo?!


Toda vez que afirmamos "não pode", observamos uma situação com análise de censura. E toda vez que afirmamos "não devemos", observamos uma situação com análise de princípios. Censura é o ato ou efeito de censurar. Também pode ser sinônimo de repreensão ou reprimenda. 

É errado o cristão celebrar o Natal?!

O casal cristão CASADO pode tudo entre 4 paredes?


"Desfrute a vida com a mulher que amas, todos os dias da tua vida vã, os quais Deus te deu debaixo do sol, todos os dias da tua vaidade; porque esta é a tua porção nesta vida, e no teu trabalho, que tu fizeste debaixo do sol". (Eclesiastes 9:9)

Quando o assunto é sexo, as censuras e tabus na maioria das igrejas evangélicas retratam a severidade com que a maioria dos religiosos tratam o assunto. Muitos casais vivem hoje distantes da igreja, pensando seriamente em retornar, depois de realizar algumas fantasias "pecaminosas" com o cônjuge. Isso porque aprenderam que, se a relação sexual não for do modo tradicional "papai e mamãe", na finalidade única de gerar filhos, estarão cometendo um pecado terrível contra Deus. Usar uma lingerie que agrade ao esposo, realizar uma fantasia, um fetiche, é apontado por uma maioria religiosa como algo sujo, pornográfico, do demônio.

Conselheiros de igreja, alguns inclusive pregam fervorosamente em vigílias e consagrações, gritam no microfone sobre os "perigos" do casal e o sexo no casamento. Cria-se então uma espécie de medo e cobrança pessoal, e a opção encontrada por um casal de jovens é afastar-se da igreja, pois assim não estariam "brincando com as coisas de Deus", como advertiu o pregador.

É incrível como estes pseudo-conselheiros tem uma grande facilidade em amaldiçoar as pessoas, coagir, praguejar castigos, falar da "pesada mão de Deus", ao invés de abençoar, interceder, ou seja, salvar estas vidas, se elas realmente estiverem vivendo no pecado. Com um pouco de leitura, entendimento da bíblia, descobre-se que tudo isso não passa de um julgo pesado, alienador, que todos os dias afasta centenas de casais de inúmeras igrejas, que poderiam estar firmes. Ao invés de crescimento no Reino de Deus, criam um ambiente de insegurança, pois o sentimento de culpa rouba a fé.


Todos nós temos desejos sexuais. O sexo foi criado por Deus, e não pelo diabo. Óbvio que o casal cristão deve mesmo buscar a santificação, ter uma vida com Deus, jejuar, orar, ler a Palavra. Ninguém, mesmo o não-cristão, fica 24hs por dia pensando em sexo. Exceto aquele que tem algum problema, é doentio, mas isso já é outra coisa. A vida tem tantos problemas, no dia-a-dia, no trabalho, no próprio relacionamento com a pessoa que se casou, pois ter compatibilidade de gênios na convivência não é nada fácil. E diante de todas estas lutas da vida, quem fica o tempo inteiro pensando em sexo?! E aí, mesmo com os raros momentos que a pessoa tem para desfrutar no matrimônio, ainda tem que ouvir sermões condenando o sexo!

Me recordo que, em certa ocasião, um casal estava faltando muito a Santa Ceia, e já começavam a faltar as reuniões de domingo, e quando eles foram, eu e mais um casal do ministério chamamos para conversar no final do culto. O casal, um tanto sem graça, resolveu relatar que tinham "uma dúvida", se estavam ou não pecando. Resumindo: ela havia comprado uma lingerie, com espartilho, meia-calça, e resolveram se "afastar" um pouco da igreja devido a este "grave pecado". Sorrimos, mantemos sigilo, e quando falei que eles não tinham cometido pecado nenhum, voltaram a cear, e permaneceram firmes na igreja, como estão até hoje. 

Fui embora imaginando quantos casais, nas mais diversas denominações, principalmente as mais rigorosas, foram aos poucos se afastando, diminuindo a frequência, e depois se desviando totalmente da comunhão. Este casal ainda nos surpreendeu por detalhar algo de cunho íntimo. A maioria jamais fala. Como nas pregações sempre exorto a ninguém ir para casa com nenhuma dúvida, seja qual for, talvez isso os tenha motivado a resolver logo a questão.


A maioria das pessoas que condenam quase tudo no sexo (mesmo entre casados) são bons em apontar os outros, condenar, enumerar castigos divinos, mas nunca bons para responder. Se você fizer uma ou duas perguntas eles saem sem dar respostas, ou citam versículos isolados, que podem se relacionar a qualquer área da vida, tais como: "Sede santo, como santo é o nosso Deus"..."Tudo vos é lícito, mas nem tudo convém"...etc. 

E se você insistir em questões que os deixem confusos, chegam a dizer que o demônio está usando você para os interrogar. Afirmam que não gostam de polêmicas ou discussões, mesmo que tenham sido eles que começaram. É uma velha desculpa de quem não tem resposta.

A aplicação prática da "santidade no sexo", apregoada na igreja, não é obedecida em quase nada na maioria das denominações religiosas. Os "glórias" e "aleluias" no momento do sermão, servem para se passar uma aparente concordância a advertência. Depois do culto, tudo isso é esquecido. São pregações repetidas. Quem visita imagina estar ali um "povo santo", mesmo que não sejam todos, mas imagina-se ao menos a maioria.


Sermões proibitivos funcionam mais em cidades do interior. Quanto menor for a cultura do povo, maior é o medo, e consequentemente, a submissão. Em alguns casos chegam as raias do fanatismo. Há inúmeros casos nas igrejas em lugares mais pobres, de casais que só tem suas relações íntimas de luz apagada, embaixo de cobertores, fazem buracos nos lençóis, dormem em camas separadas, etc. Para alguns até o fato de citar o assunto "sexo" já é um pecado. As filhas não tem nenhuma instrução, ou diálogo. Geralmente os pais acham que a "oração de poder" resolve tudo. Muitas meninas, ainda adolescentes, engravidam do namorado que conheceram na escola ou na igreja. Lamentável.

No ano de 2002, quando escrevi o artigo afirmando que sexo oral não é pecado, o site que eu tinha (não era este blog) explodiu em visitas. Ninguém tivera, na época, a ousadia em escrever algo que torceria o nariz de muitos legalistas. Alguns criticaram, mas a grande maioria agradeceu o esclarecimento. Fiz, no artigo, uma pergunta: Se a boca é para louvar, orar, adorar, e as MÃOS? Não são usadas para imposição na oração, ungir com óleo?! E agora?? O casal cristão não pode também acariciar, e tem que colocar as mãos para trás?! 

Até hoje ninguém respondeu a esta pergunta. Os que discordam apenas vociferam frases carregadas de ódio, o que reforça a minha fé, que a religiosidade conduz a uma espécie de fanatismo involuntário. No artigo sobre o casal cristão poder ir a um motel, foi a mesma coisa. Mais um milhão de pessoas acessando, lendo, e agradecendo pelo artigo. E os críticos com o mesmo palavreado de sempre.


As proibições de muitas igrejas vão se tornando obsoletas com o passar dos anos. O que muitos condenam hoje estará liberado daqui a 10 ou 15 anos. As vezes menos. Depende do pastor, ou da convenção a que ele está ligado. Se você pesquisar a história de muitas denominações evangélicas, envolvendo os dogmas, as "doutrinas", os usos e costumes denominacionais, ficará estarrecido com o número de proibições que muitas igrejas tinham em seus estatutos internos, para não detalhar as coisas ridículas que eram proibidas, desde mascar chiclete, beber refrigerante, a ter televisão em casa, etc. 

SEXO ANAL

Dúvidas, dúvidas, e mais dúvidas. Esta parece ser uma marca registrada na cabeça de muitos evangélicos. Quase nunca há uma certeza nos assuntos íntimos, e muitos dos que se dizem contra o fazem apenas no receio de não terem a imagem prejudicada em um assunto que a maioria critica. Existe um porque de muitos condenarem o sexo anal. Vejamos:

Quando abordamos o assunto "sexo anal", o primeiro texto bíblico que vem a debate é Romanos 1:26-27:

"Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão"

Se estudarmos o contexto destes versículos, vamos descobrir que Paulo se referia aos bacanais públicos e oficiais de Roma. A orgia era parte oficial da instituição. É só ler com um pouco mais de atenção que você vai perceber. César tinha relações com todas as mulheres que queria e também fazia-se mulher para muitos homens. Tudo era permitido! Ele definitivamente não estava falando de sexo anal entre marido e mulher com consentimento e prazer mútuo.

A versão da Nova Bíblia Viva não nos deixa dúvidas:

"Esta é a razão pela qual Deus os entregou a paixões pecaminosas, a tal ponto que até suas mulheres se voltaram contra o plano natural que Deus tinha para elas e cederam aos pecados sexuais entre elas mesmas"

Sugiro então que não use mais este texto para condenar o sexo anal.

Outro versículo que também gera debate é 1º Coríntios 6:9-10:

"Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarento, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus".


Sodomita. Essa palavra tem origem na descrição Bíblica de Sodoma e Gomorra. A interpretação mais difundida desse texto é de que o pecado de Sodoma seria o sexo entre homens, no entanto, estudos bíblicos mais recente entendem que o pecado de Sodoma é a injustiça e a anti-hospitalidade. Outra teoria diz que o motivo da ira Divina sobre Sodoma e Gomorra, era o abuso sexual e a intenção de fazer o mal ao próximo. 

Esses estudos, pregam que os sodomitas eram tão perversos que desejavam humilhar os forasteiros, abusando-os pela simples razão de serem estrangeiros. E dizem ainda que a intenção dos habitantes pode ser entendida apenas como vontade de fazer o mal. Mais uma vez não podemos afirmar que esta palavra se refere ao sexo anal feito entre marido e mulher com consentimento mútuo e prazer. [Pastor Oliveira de Jesus].

Guarde um bom conselho que serve para todas as áreas de sua vida: Tudo o que é exagerado, vicioso, é prejudicial. Há cristão que quando descobre que ir à praia não é pecado, começa a ir todos os dias que pode. Até o dia que quase se afoga, e volta a dizer que a praia é "do demônio". Tudo o que você e seu esposo ou esposa fizerem, façam de comum acordo. Se achar que algo é pecado, então que não façam, mas não transforme isso em uma regra moral coletiva. 

É impressionante como uma pessoa cristã pode basear o seu conceito sobre pecado em pesquisas mundanas. Falam tanto de serem "diferentes do mundo", que "o mundo nada tem de bom", etc, e quando querem ter respaldo para criticarem o sexo oral ou anal, baseiam-se em "pesquisas científicas realizadas", afirmando que isso ou aquilo traz doenças, etc. Há pessoas que tem em sua natureza a herança genética para desenvolverem doenças até quando só praticam o sexo tradicional. E como já afirmei e repito, tudo o que é feito de forma exagerada, viciante, doentia, com certeza causa problemas.


Coloque sempre a sua vida no altar. Ore bastante, pois a oração é a respiração do cristão. Leia a Palavra de Deus e estude, procure compreender, leia bons artigos, e não fique alienado a pregações aleatórias. Muitas pessoas pregam mais o que acham do que o diz a Bíblia. Muitos já tem uma força de hábito em afirmar no microfone que "Deus está mandando dizer" as coisas que ele pregou, e isso raramente condiz com a realidade.

Consagre sua vida, você e seu cônjuge. Seja fiel a Deus. Não existe coisa melhor do que ter uma vida consagrada. E isso não significa ser um crente ranzinza que condena tudo e todo mundo. Muito pelo contrário, é ser liberto das garras do religiosismo, que aniquila a fé, e causa a apostasia.

"Para a liberdade Cristo nos libertou; permanecei, pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jogo de escravidão". (Gálatas 5:1)

"Se alguém ensina alguma doutrina diversa, e não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, é soberbo, e nada sabe". (1º Timóteo 6:3)

Denis de Oliveira é Pastor da Assembleia de Deus, Ministério Poder de Deus, RJ.

É pecado a mulher cristã cortar o cabelo?

Nos últimos 20 anos muitas "doutrinas" de algumas igrejas evangélicas, mesmo as mais rigorosas, mudaram, foram abolidas, esquecidas. E isso não é um sinal de "a igreja esfriou", ou se tornou uma "porta larga". Proibições como: beber refrigerantes, usar perfume, mascar chicletes, usar chinelo, dentre outras, não são mais um sinal de "mundanismo" para algumas denominações de hoje que pregavam fervorosamente contra estas coisas em décadas passadas. Até os anos 1960 ser "crente" era sinônimo de se tornar isolado de quase tudo. A palavra "santificação" significa separação, e não alienação. Milhares de pessoas foram advertidas, suspensas e excluídas de comunhão por regras que hoje são vistas como ridículas.

Realizar um estudo mais profundo das Escrituras nunca foi algo tão incentivado em muitas igrejas. Sempre foi deixado como opção pessoal estudar mais ou menos a Palavra de Deus, como se isso fosse um "dom". Me lembro que na escola dominical, se alguém fizesse alguma pergunta mais complicada, mesmo dentro do assunto, a resposta quase nunca era satisfatória. Pouca coisa era explicada. E se alguém insistisse na questão, era tido como "criador de polêmicas". Com uma rapidez incrível isso chegava ao ouvido do pastor. "-Fulano criou polêmica lá na escola dominical". Uma repreensão no gabinete já era certa! 

Mesmo estando com o cabelo curto,
fora da "doutrina" da igreja, alguns
pastores parecem não reprovar
quando se trata de uma empresária
.
Me parece contraditório em algumas denominações evangélicas, quando o líder é um defensor ferrenho de suas "doutrinas", e ele não se comporta com a mesma intolerância diante de empresários, políticos, e pessoas de maior poder aquisitivo. Em seu relacionamento com os irmãos mais humildes (os mais pobres mesmo), alguns líderes parecem irredutíveis. Olham com seriedade, balançam a cabeça para os lados reprovando roupas, cabelos, e perfis que não se enquadram em suas "doutrinas". Parece não haver chance alguma dele simpatizar com os que eles chamam de "crentes mundanos". Mas se, em alguma visita à igreja, a esposa de um empresário ou político, estiver de calça-comprida, cabelo cortado e maquiada, por exemplo, afirmando ser evangélica, não será visto nenhum ar de reprovação por parte deles. Muito pelo contrário, abraços e largos sorrisos estarão estampados em seus rostos, como se tudo ali estivesse da maneira como eles ensinam.

Será que Deus, que 
"não faz acepção de pessoas" (Romanos 2:11), trata de modo diferente os ricos dos pobres?! Se há, por parte de alguns pastores, um repúdio tão grande quanto as "vaidades", que as mulheres maquiadas e com cabelos cortados estão com "espírito de prostituição", como podem ser tão simpáticos e receptíveis a mulheres com cabelo curto, de calça-comprida e super-maquiadas, (inclusive algumas sobem no púlpito de suas igrejas), desde que elas tenham elevada posição social? O dinheiro e o status destas pessoas na sociedade as redime do terrível "pecado da vaidade"?! Com certeza que não, e estes líderes sabem muito bem disso. Então percebemos uma clara hipocrisia e contradição em determinados grupos, que são rigorosos com uns, mas flexíveis com outros, quando há interesses envolvidos.

Vamos então ao assunto do cabelo. O texto que é tomado por base para a proibição da mulher cristã cortar o cabelo é:

"Todo o homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça. Mas toda a mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada. Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu. O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem. Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem. Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem. Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos. Todavia, nem o homem é sem a mulher, nem a mulher sem o homem, no Senhor. Porque, como a mulher provém do homem, assim também o homem provém da mulher, mas tudo vem de Deus. Julgai entre vós mesmos: é decente que a mulher ore a Deus descoberta? Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido? Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu. Mas, se alguém quiser ser contencioso, nós não temos tal costume, nem as igrejas de Deus". (1º Coríntios 11:4-16)

Quando somos apenas meros leitores da bíblia, a primeira coisa que perguntamos é: "-O livro de Coríntios não é a Palavra de Deus para todos nós?!" Eu mesmo, quando ainda novo no evangelho, dizia isso a quem queria me explicar esta passagem. E mesmo sendo um fervoroso defensor dos dogmas de minha igreja, reconheci o meu erro, e neste texto você verá o porque.

Ao lermos as Sagradas Escrituras, temos que ter bastante cuidado quanto a aplicação em nossa vida. Se formos seguir ao "pé da letra" os textos, sem respeitar a cultura e a época em que foram escritos, iremos criar um monte de dogmas e heresias, achando que estamos fazendo "a vontade de Deus". Em razão disso há um número enorme de igrejas e seitas se auto-intitulando "santas" em suas "doutrinas" e se apoiando no que "a bíblia diz". Não são poucas as novas denominações evangélicas que surgem todos os dias, afirmando serem as "resgatadoras da verdadeira santidade" que eles afirmam não ter na igreja de onde saíram. E detalhe: nenhuma outra igreja no mundo sabe dos "segredos profundos" sobre santificação que só eles ensinam. Geralmente não passam de questiúnculas, criadas por quem não entende absolutamente nada de bíblia, e elaboradas no objetivo de criarem um 'muro' entre eles e as outras igrejas. Uma tática para segurar os membros em uma época que há quase uma igreja em cada esquina.

Não somente o livro de Coríntios, mas todos os livros da Bíblia, que falam de túnicas, mantos, alforjes, cálices, alparcas, etc, são a Palavra de Deus. Na época do apóstolo Paulo, por exemplo, parece que um monte de coisas eram "indecentes" com relação a mulher, senão vejamos:

"As mulheres estejam caladas nas igrejas, porque lhes não é permitido falar. E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos, porque é indecente que as mulheres falem na igreja". (1º Coríntios 14:34,35)

Ora, as mulheres não cantam e testemunham no microfone da igreja nos dias de hoje?! Há mulheres que tem cd's gravados, pregam, ganham almas, enfim, fazem a obra de Deus. Mas e o que Paulo disse nos versículos acima?? Não é para ficarem caladas?! Então das duas, uma: Ou todas as igrejas estão erradas, ou há uma explicação plausível para este texto bíblico. Esta passagem existe porque as mulheres faziam perguntas que constrangiam os ministros na época. Não existiam caixas de som, microfone, nada disso. Nas reuniões, como nos mostra o livro de Atos, eram feitas perguntas, dos mais diversos assuntos, e por isso, nesta mesma passagem, logo no versículo abaixo, Paulo explica: "E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos...". (versíc. 35) E porque seria indecente ouvir uma mulher falar?? Por acaso o Senhor Jesus não conversou com uma mulher samaritana? Vamos a um outro texto bíblico:

"E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus". (Mateus 23:9) 

Você chama o seu pai carnal de "pai"? Está desobedecendo as Escrituras?? Ora, a bíblia nos manda "honrar pai e mãe". O próprio Senhor Jesus repetiu este mandamento em Mateus 19:19. Mas o versículo de Mateus 23 é enfático: "A NINGUÉM na terra chameis de pai..." E agora? Como fica esta confusão?? Honrar PAI e mãe, ou não chamar ninguém na terra de Pai?! Explicando: observe que os versículos de 5 à 12 de Mateus 23 se dirige ao tratamento a líderes espirituais, que queriam títulos que somente podem ser dados a Deus. Veja o modo como é escrito: "A ninguém na terra chameis de pai..." Ora, se fosse para não chamar de "pai" o pai carnal, biológico, seria mais fácil o Senhor ordenar não chamar de pai o nosso chefe de família, não? Afinal, não vivemos chamando a qualquer um de "pai", exceto ao nosso ente querido familiar que recebe este título. E se o pecado fosse chamar de "pai" um membro da família, o Senhor também falaria algo do título de "mãe", que recebe a mesma estima dos filhos. Então está claro que estes "pais", que Jesus se referia, era devido ao problema do 'endeusamento' de líderes.

O apóstolo Paulo também ordena, em vários cartas, a saudar os irmãos com o "ósculo santo". A palavra ósculo significa tão somente o beijo ao cumprimentar. Isso mesmo, beijar na face. Aqui no Brasil, independente da religião, o cumprimento é comum no rosto entre mulheres, e homens com mulheres. Nunca entre homens. Mas a ordenação bíblica não distingue sexo. Há até igrejas, defensoras do "ósculo santo", ordenando cumprimentar o próximo beijando no rosto, mesmo entre homens. E é o que a bíblia diz, não? Vejamos:

"Saudai-vos uns aos outros com santo ósculo". (Romanos 16:16 / 1º Cor. 16:20 / 2º Cor. 13:12 / 1º Tess. 5:26 / 1º Pedro 5:14)

Aqui não há apenas um texto como o caso do cabelo, mas 5 (cinco) referências sobre cumprimentar um irmão com o "ósculo santo". O que o apóstolo Paulo deseja não é que tenhamos apenas um ritual de cumprimentar beijando, afinal, bem antes de Paulo escrever isso, Judas traiu Jesus com um beijo. Era a maneira mais comum de saudação. Mas Paulo deseja que venhamos a falar com nosso próximo com sinceridade. Tanto que ele fala de ósculo "SANTO". Senão ele diria apenas para "saudar com o ósculo". E ponto final. Se na época a saudação fosse apenas um apertar de mão, ele diria para ter um "aperto de mão santo", ou seja, com sinceridade, sem falsidade.

Uma das passagens bíblicas usadas para se fazer apologia à pobreza cristã, é a passagem de Jesus e o jovem rico. Diante da pergunta do jovem, sobre o que ele deveria fazer para se salvar, Jesus cita os mandamentos, e também lhe ordena: "Vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres". (Mateus 19:21) É pecado ser rico? Devemos vender tudo o que temos e dar aos pobres?! Porque Jesus não disse o mesmo para Nicodemos, Zaqueu, e tantos outros?! O Senhor Jesus, quando nos ensina a orar, afirma: "Mas tu, quando orares, entra no teu aposento…" (Mateus 6:5). Ora, como a pessoa vai ter um aposento, uma casa, se ela tem que vender TUDO e dar aos pobres?! Com certeza Jesus disse aquilo ao jovem rico porque sabia que ele era agarrado demais as suas riquezas. Por este motivo o jovem "retirou-se triste". O seu coração estava nas suas "muitas propriedades" (vers. 22).

Então, se estas passagens tem as suas devidas explicações, porque a mulher cristã deve observar à risca o texto de 1º Coríntios 11, sobre cortar o cabelo?!

O texto de 1º Coríntios 11:4-16, que trata do corte de cabelo, foi escrito em uma carta endereçada a uma igreja que se localizava na cidade grega de Corinto. Esta era uma cidade portuária, e por isso, vinham pessoas de todos os lugares do mundo. Juntamente com elas, vinham as suas crenças religiosas. Devido este motivo, havia em Corinto templos em honra a vários deuses, inclusive o Templo de Afrodite. O culto à deusa do amor envolvia relações sexuais, orgias cultuais. Havia na época por volta de mil prostitutas em Corinto. Esta prostituição gerava muita riqueza para a cidade. 

A prostituta cultual, para se diferenciar da mulher comum, cortava o seu cabelo bem curto, e assim, todos que vissem uma mulher com cabelo curto saberiam que se tratava de uma prostituta de Afrodite. Esta era uma forma de identificá-las. Ou seja, era vergonhoso para a mulher cristã cortar ou aparar o cabelo, apenas em Corinto, pois poderia ser facilmente confundida com uma prostituta do templo de Afrodite. Por isso, a recomendação da carta de Paulo para as mulheres cristãs não cortarem os seus cabelos.

E outra: Será que ninguém lê o último versículo do texto??? "Nós não temos tal costume, nem as igrejas de Deus". O apóstolo Paulo em nenhum momento fala de PECADO ou desobediência as leis do Senhor. Apenas fala de DESONRA. Era uma "desonra", na época, para a mulher, e não para Deus! Como vemos, a palavra foi algo específico na cidade de Corinto. Do contrário, Deus ordenaria a Sansão ser "desonroso"?! Se o homem ter os cabelos crescidos lhe é desonroso, porque Sansão podia ter, e ainda como determinação do próprio Deus?!

Pelo que se nota, em nenhum lugar Paulo proíbe cortar o cabelo ou tê-lo mais curto ou mais comprido. O que ele ensina aos coríntios é: ou tem cabelo ou rapa a cabeça por completo, devido ao problema da cidade na época. Mas, não fala de cortar o cabelo. Afinal, a cobertura poderia ser mais curta ou mais comprida. Se não fosse assim, seria difícil para as mulheres africanas serem puras, no uso do cabelo como véu, cujo cabelo é geralmente, muito pequeno, e lá tanto as mulheres como os homens tem o cabelo curto. 

Daí alguém poderá dizer: "Ah, mas a mulher que tem o cabelo dito 'ruim' pode alisar, etc". Então neste caso a mulher pode ALTERAR A NATUREZA, o que mais estas igrejas condenam?! A única coisa que Paulo recomenda para Corinto é que o cabelo da mulher deve ser, no entanto, mais longo e o cabelo do homem curto.

Mulheres africanas - cabelos curtos. Elas podem alterar a natureza??

Observe o que diz o versículo 13 de 1º Cor. 11:4: "Julgai entre vós mesmos: é próprio que a mulher ore a Deus sem trazer o véu".

Quem deveria julgar? Eram somente os irmãos de Coríntios, pois a eles foi dirigida esta exortação, e nas outras não havia o problema que existia lá. Nem Jesus e nem outro apóstolo abordou este assunto. Porquê? A Bíblia não diz que as irmãs que cortam o cabelo ficarão de fora do Reino de Deus. "Mas ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os que se prostituem, os homicidas, os idólatras, e qualquer que ama e pratica a mentira". (Apocalipse 22:15) Mas condena a fofoca, a mentira, e estas coisas vemos acontecer demais em muitas igrejas, e quase não é pregado, ou encarado como pecado, tanto quanto uma irmã cortar o cabelo. 

Muitas mulheres tem os cabelos que se arrastam pelos pés, mas não têm respeito pelo marido, vivem em rodinhas de fofocas, falam mal de outros irmãos, da igreja, do pastor, criticam quase tudo que é organizado no templo, mentem para faltar no trabalho, tratam os irmãos com falsidade, e acham que o tamanho do cabelo irá intimidar a Deus de condená-las.

Não são todas as irmãs que agem assim, mas me impressiona o número de cristãs, que mesmo exibindo um cabelo enorme, são as típicas "crentes cobra criada". São afiadas em dar respostas, maliciosas, e sabem de quase tudo da vida alheia. Algumas chegam a recitar um conhecido ditado: "-Quando fulano vem com o milho, já estou voltando com o fubá". O apóstolo Paulo, e várias passagens das Escrituras, condenam o "pecado da malícia". Para estas pessoas, o cristão sincero, que não se junta aos fofoqueiros para saber dos "babados" da igreja, é um bôbo. "Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento". (1º Coríntios 14:20) 

Em uma ocasião uma mãe dirigiu-se ao gabinete pastoral da igreja para relatar o pecado de prostituição que sua filha cometera, e após comunicar o assunto ao pastor, ela disse: "Pastor, eu ainda fico feliz com minha filha, pois ao menos ela não cortou o cabelo". Como se o pecado de prostituição não fosse tão grave, e cortar os cabelos fosse um pecado quase que imperdoável. Foi o que ela aprendeu com o legalismo religioso. Pode não ser admitido abertamente, mas este é o sentimento involuntário que há no coração deste tipo de crente. É feito vista grossa para pecados que a bíblia condena, mas desobedecer as doutrinas da igreja é algo "escandaloso" para eles.


Se de um lado existem as mulheres maliciosas, sejamos honestos, em algumas igrejas, quem mais sofre mesmo com as inúmeras proibições, são as mulheres. Nos púlpitos, os pregadores vociferam pregações proibitivas, acusando de vaidosas e de "Jezabel" aquelas que não andam segundo suas doutrinas. Em muitas ocasiões alguns destes pastores ou pregadores, trajam um terno caríssimo, ostentando uma bela gravata de seda importada (quase sempre presa por um grampo de ouro), sapatos brilhosos, porém exigem simplicidade no trajar das mulheres.

Se você começar a estudar a história de algumas denominações, descobrirá o início de algumas "doutrinas" e proibições, que ainda hoje causam dúvidas e medo no meio evangélico. A maioria das proibições, chamadas por eles de "doutrinas", foram criadas na data de sua fundação, e são os estatutos internos da igreja. Em algumas denominações o homem não pode ter bigode. Outras não permitem assistir o culto com os pés calçados. E mais uma lista enorme de regras. Se uma igreja foi fundada em 1930, por exemplo, e ela acredita piamente que suas doutrinas são as únicas certas, como fica o povo que viveu antes desta data?! Não havia salvação antes de 1930?!  

O que era para trazer ao meio cristão fé, segurança, sabedoria, traz medo, incertezas, debates, escândalos e ainda perde-se de ganhar muitas almas para Jesus, pois ao invés de pregar somente o evangelho, se concentram em jogar indiretas, do tipo "Há irmãs que tem que vigiar com o cabelo". Pregações carregadas de ódio, preconceitos, que mais afastam do que 'pescam' almas para o Reino de Deus. "O que ganha almas sábio é". (Provérbios 11:30)

Sou pastor, e jamais serei a favor da libertinagem, em que o cristão possa viver fazendo de tudo. O verdadeiro servo de Deus, deve viver em santidade e sinceridade. Se ele prega algo que condena, se defende as doutrinas de sua denominação, faça o mesmo na presença de empresários, políticos, filho do prefeito, esposa do deputado, etc. Não pode ser um hipócrita. 

Respeito a todas as igrejas que mantém as suas doutrinas. Tenho muitos amigos pastores, das mais diversas denominações, e não os ofendo. Até muitos deles admitem que deve se ter um equilíbrio e moderação em muitas proibições. Todavia, na minha opinião, observar tamanho de cabelo como referencial de santidade e regra para entrar no céu, é pregar um "outro evangelho". (Gálatas 1:8)

"Se alguém ensina alguma doutrina diversa, e não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, é soberbo, e nada sabe". (1º Timóteo 6:3)

"Não julgueis segundo a aparência, mas sim pela reta justiça". (João7:24)

"Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros". (João 13:35)

"Fugi dos escribas, que gostam de andar com vestes compridas". (Marcos 12:38)

(Fontes de pesquisa e alguns textos extraídos: Bíblia Sagrada Almeida Revista e Corrigida; Pr Elias Ribas; Diálogo Aberto e Original por André Francisco; imagens meramente ilustrativas).


Denis de Oliveira é pastor da Assembleia de Deus, Ministério Poder de Deus, RJ.

Satanás era "Regente de Coral" no céu antes de sua queda?

Em quase todos os artigos que escrevo destaco a importância do cristão estudar as Sagradas Escrituras. A falta de um bom estudo bíblico deixa o cristão muito vulnerável a crendices, heresias e superstições criadas no meio evangélico. E o pior de tudo isso, é quando igrejas e grupos religiosos entram em acordo sobre determinado tipo de credo. Quando há o chamado consenso, ou seja, um consentimento e conformidade sobre um determinado tema, sem uma pesquisa, uma análise, um estudo para ver se há respaldo bíblico, o crente adere a uma linha de pensamento errônea sobre Deus e a vida cristã. 

E tudo aquilo que se torna um consenso é muito difícil de ser esmiuçado. Alguns líderes criam em suas igrejas um consenso sobre determinado assunto, porque a sua pregação no púlpito é interpretada como "a voz de Deus" falando com a igreja. Principalmente se a pregação for "fervorosa". Daí os membros dificilmente questionam ou pesquisam o conteúdo do que foi dito pelo preletor da noite. A igreja diz "amém" para praticamente tudo que é pregado no púlpito por pregadores que surgem do nada, trazendo "novidades impressionantes" da Palavra de Deus.

Mesmo a igreja sendo de Deus, e estar na direção de Deus, esta condição não afasta a possibilidade das falhas humanas interferirem na lista de crenças divulgadas entre os cristãos. Durantes anos, décadas, divulgava-se no meio evangélico a possibilidade de Jesus retornar (ou ocorrer o chamado "fim do mundo") no ano 2000. Muitos chegavam a afirmar que a bíblia alertava: "A dois mil chegarás, mas de dois mil não passarás". E como os antigos crentes repetiram isso!!! 

Nunca se achou tal afirmação em lugar nenhum da bíblia. Um estudioso das Escrituras entende que isso nunca existiu na Palavra de Deus. E após este grave erro do ano 2000, vários pregadores espalharam datas da volta de Jesus, calculando datas de "gerações" de Israel, etc. Heresias só funcionam com crentes que tem preguiça de estudar a bíblia. O crente incauto ouve, e sai repetindo o que ouviu, prestando um desserviço a obra de Deus.

Uma das maiores aberrações que ouvimos constantemente de alguns cristãos, é que eles não estudam teologia porque "a letra mata". Quando o apóstolo Paulo afirma em 2º Coríntios 3:6 que a letra mata, ele se referia a LETRA DA LEI, que os judeus queriam viver. Basta ler todo o texto para compreender o que Paulo afirma. A letra da Palavra de Deus jamais poderia "matar" um cristão. O próprio Jesus ordenou: "Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam". (João 5:39)

A palavra "anjo" (do latim angelus e do grego ággelos (ἄγγελος) significa "mensageiro". É usada para identificar seres celestiais encarregados com a transmissão de uma mensagem do Senhor. Em alguns casos pode até se referir a mensageiros humanos, mas isso já é um outro estudo. Há classes diferentes de anjos no céu, claro. Os anjos, arcanjos, querubins e serafins. O estudo da angeologia é bem abrangente. Há uma enorme relação na bíblia, tanto no antigo como no novo testamento, do homem com os anjos do Senhor.

Qual a base para se acreditar que Satanás era "Regente de Coral" no céu antes de sua queda?! Vejamos os versículos:

"Estiveste no Éden, jardim de Deus; cobrias-te de toda pedra preciosa: a cornalina, o topázio, o ônix, a crisólita, o berilo, o jaspe, a safira, a granada, a esmeralda e o ouro. Em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Eu te coloquei com o querubim da guarda; estiveste sobre o monte santo de Deus; andaste no meio das pedras afogueadas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que em ti se achou iniquidade". (Ezequiel 28,13-15)

A passagem acima literalmente é um juízo proferido sobre o rei de Tiro. Ezequiel não trata de Lúcifer em seu estado não caído. Precisamos respeitar o contexto. Mesmo havendo paralelos entre a altivez do rei de Tiro e Lúcifer, a linguagem não trata deles. O texto fala de instrumentos musicais, e com isso alguns concluem que se refere ao dom musical de Lúcifer.

Tentam literatizar a passagem de Ezequiel, e deixam de lado o restante dos versículos. Senão, vejamos: ele (o diabo) também era coberto de jóias preciosas literalmente, e se "engajou em comércio". (v. 16, 18). Comércio? Lá no céu?? Alguns pregadores chegam a explanar em seus sermões que em razão do diabo ter sido um "regente de coral" ele tem uma grande fúria com os músicos cristãos. 

Se o fato do diabo ter sido músico no céu, o faz ter hoje ódio dos músicos ou corais da igreja, o fato dele ter sido coberto de pedras preciosas também o faz ter ódio dos comerciantes de ouro, diamante, ou pedras preciosas aqui da terra?! Nunca vi nenhum pregador falar que o inimigo tem fúria das pedras preciosas.

Outro texto utilizado é Jó 38,4-7, que fala de "coro celestial":

"Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra?...Quando juntas cantavam as estrelas da manhã, e todos os filhos de Deus bradavam de júbilo?"

O texto está se referindo a um coro de anjos cantando, e não de Lúcifer. Assim como Ezequiel, o texto de Jó é poético, simbólico.

Segundo a Palavra de Deus, os anjos são perfeitos em todos os sentidos, e superiores ao homem (Salmo 8:5; Hebreus 2:7). Porque então anjos deveriam necessitar de um regente?! Não há em nenhum lugar das Escrituras a necessidade dos anjos terem um "regente" no céu. 

Entre nós, seres humanos falhos, que não somos perfeitos, existem as pessoas que possuem o chamado "ouvido absoluto", ou seja, não precisam que ninguém lhes toque ao piano ou sopre num diapasão um Dó ou Fá. Eles ouvem a nota automaticamente em seu ouvido, e cantam no tom. Quanto mais os anjos que são superiores ao homem!

E o mais importante disso tudo é entender que, se Lúcifer era ou não "regente do coral" é irrelevante, já que ele caiu de sua elevada posição por rebelião a Deus, e não em questões musicais!

Muitas vezes a intenção de alguns que usam a mensagem de que Satanás era "regente musical" é demonizar a música secular. As afirmações "Satanás é músico...temos que ter cuidado com a música...", é no intuito de afastar os crentes da música secular, ou seja, a chama "música mundana". 

Realmente há muita música secular que não presta, e até acredito que há mesmo influência maligna em algumas músicas, principalmente para destruir jovens, e os cristãos em geral. Mas nem toda música é assim. Com toda certeza o diabo tem um vasto conhecimento da música. Mas ele não foi originador da música! Foi Deus quem criou a música!!! Não podemos dar a Satanás algo que é de Deus.

Mas porque então se disseminou tanto entre os evangélicos a informação que "Satanás foi Regente de Coral no Céu"?! 

É uma lenda criada pela líder adventista do sétimo dia, Ellen White. Muitos evangélicos que tem acesso a literaturas de supostos "estudos da bíblia" muito baratos, alguns livros até mesmo de algumas seitas, são tidos como "uma bênção". Confira a origem do disparate:

"Satanás tinha dirigido o coro celestial. Tinha ferido a primeira nota; então todo o exército angelical havia-se unido a ele..." (Ellen Gold White, História da Redenção, pág. 25).

Mas quem foi Ellen Gold White? Resumidamente falando, Ellen Gold White foi uma das pessoas que ajudaram a fundar a Igreja Adventista do Sétimo Dia, e escritora do livro: "O Grande Conflito", muito vendido nos lares junto com uma bíblia de tamanho grande, que se colocava na estante. Ellen White também era considerada uma grande profetiza.

Concluindo, o diabo tem ódio da criatura humana, feita a imagem e semelhança de Deus, e não em especial tem uma fúria pelos músicos, cantores, ou membros do grupo de louvor da igreja. O inimigo começa a ter fúria de você, sendo músico ou não, a partir do momento que você tem uma vida de consagração, oração, leitura da bíblia, e uma vida sincera com Deus e com seus irmãos em Cristo. Acredito até que o inimigo de nossas almas tenha uma atenção voltada para os pregadores da Palavra de Deus, pois estes sim, vivem arrancando as almas de suas garras. Agora afirmar que o alvo do inimigo são os músicos e cantores, devido a ele ter sido "regente de coral no céu", é a maior mancada evangélica de todos os tempos!

"E até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós". (1º Coríntios 11:19)

"O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento". (Oséias 4:6)

"Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho". (Salmo 119:105) 

"Errais, não conhecendo as Escrituras, e nem o poder de Deus". (Marcos 12:24)

"Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo". (2º Pedro 3:18)

Denis de Oliveira é pastor da Assembleia de Deus, Ministério Poder de Deus, RJ.

Os maiores erros do namoro cristão.

como deve ser o namoro evangélico

Introdução

A maioria das palestras sobre namoro cristão se resume em falar de "santidade", que o casal de jovens não pode isso, não pode aquilo, e que devem fugir do pecado sexual, ou seja, cair em fornicação. Os conselhos são os mesmos de qualquer irmão ou obreiro da igreja, porém, por serem explanados no microfone, parecem sair mais da boca de Deus do que do homem. Estes conselhos são o óbvio de um namoro cristão: não pecar. (Por acaso o cristão pode pecar em outras situações da vida, que não seja durante o namoro?) São congressos de jovens, reuniões, encontros, que "chovem no molhado" no fator conteúdo. 

namoro é da vontade de deus
No fim do evento, pergunte a cada um dos jovens o que eles aprenderam da bíblia, do significado de santificação, de como por em prática o que ali foi pregado, e se espante com o incrível silêncio. Não aprenderam absolutamente nada! Só ouviram líderes e preletores advertirem para os jovens não pecarem. E todos da igreja saem repetindo comentários que o tal congresso "foi uma bênção" por uma determinação retórica da liderança. 

O pastor e os obreiros afirmam sem cessar: "Que bênção foi aquele congresso!!!" Quem irá discordar? Para o membro da igreja evitar discussões ou olhares recriminadores, será mais conveniente repetir: "Sim, foi uma bênção!" Afinal, o que foi uma "bênção" no tal evento? A quantidade assustadora de pessoas?? O barulho de uma multidão inquieta, andando pra lá e pra cá, falando, conversando, indo a cantina... Parece que as definições sobre um evento ser "abençoado" ou não está mais na quantidade de pessoas do que na qualidade. 

O conteúdo de algumas pregações em muitos destes congressos para jovens chega ser engraçado pela maneira ingênua, (ou mais cômoda), de alguns preletores desejarem alertar os jovens contra o pecado. "Jovem, não peque". "Jovem, você não pode pecar". "Juventude, não caia no pecado". Para os pais estes são conselhos maravilhosos, e eles glorificam a Deus, imaginando que seus filhos estão ouvindo estas mensagens, e concluindo: "Poxa vida, não vou pecar!"  Que bênção se fosse assim. 

casal de namorados cristãos

Na verdade para 90% daquela turminha que está ali sentada estas pregações "entram por um ouvido e saem pelo outro". Após todo aquele dispendioso evento, convite aos jovens, cantores, divulgação, conselhos "santos", passado alguns meses descobre-se moças do grupo jovem grávidas do namorado, rapazes que foram à uma festa e beberam, se prostituíram, afastaram-se da igreja, etc. Parece que toda aquela gritaria com os jovens não passou de uma tremenda festa barulhenta!

Com mensagens recriminando as opções de lazer, que não sejam as programações evangélicas, muitas igrejas sempre tentaram criar um certo desencantamento pelo "mundo", numa tentativa de afastar os jovens de uma possível apostasia da fé. Há denominações que o tempo todo pregam contra o lazer, o passeio, a diversão, etc. Um grave erro, que cria mais repúdio a ideia de ser crente do que incentivo a santidade. Quem se converteu teve uma transformação de vida tão grande, tão maravilhosa, que não quer mais ir para "o mundo", por opção própria, e não porque alguém proibiu.

namoro entre evangélicos

Casar logo? Porque?

O namoro deve ter propósito de casamento, e não pressa de casamento. No namoro cristão deve-se haver responsabilidade e santidade, e não costumes e formalidades. Santificação significa separação [do pecado], e não falta de diálogo, de abordar assuntos relevantes, enfim, o casal deve estar preocupado com o futuro, e ao mesmo tempo entregando as suas ansiedades nas mãos do Senhor. Para muitos isso é uma missão difícil, mas quem ama espera, e aguarda em Deus o momento certo. 

Há líderes, obreiros, que ensinam que o jovem deve "casar logo" por causa da "carne". Ninguém deve se casar apressadamente em virtude dos desejos sexuais. Casamento é algo muito sério para se pensar apenas em sexo. Na vida de casado, os cônjuges não vivem somente em prol da vida sexual todo o tempo. São inúmeras as preocupações, como administração financeira, filhos, reforma na casa, roupa, saúde, etc. Durante o namoro você deve pensar no casamento sim, mas casar por amor.

namoro santo entre cristãos

Pseudo-conselheiros

Casal de namorados em quase todo o tempo é vigiado, advertido, aconselhado, e um monte de gente se mete para falar um monte de coisas da boca pra fora para parecer que são "santos". Concordo que aconselhar os jovens, em situações apropriadas, é importante. Mas se um casal demonstrar muita receptividade a pessoas intrometidas, inúmeros pseudo-conselheiros surgirão para falar o que nem eles viveram, e jamais viveriam, mesmo sendo cristãos. Começam a ilustrar suas advertências com 'casos' e 'contos' de jovens que beijavam muito e Deus "pesou a mão", e eles morreram doentes. Que um casal de namorados namoravam muito, e sofreram um acidente e morreram. Mentiras criadas na melhor das intenções de manter os jovens em santidade. Se isso funcionasse, não veríamos uma grande parcela de nossa juventude caída e afastada da igreja.

casais evangélicos casados
O que estes conselheiros talvez não saibam, é que não é somente casal de namorados que necessitam de conselhos. Todos os dias centenas de casais se separam, depois de anos juntos em um matrimônio que parecia inabalável. Enquanto os super-conselheiros estão preocupados em advertir jovens em coisas que eles já sabem, estão perdendo os casais casados que vivem em constante crise, e eles não sabem o que fazer. Ora, não são conselheiros?! Ajudem os casados! Não deixem eles se separarem. Tão fácil intimidar casais de namorados, e os casados da igreja escorrendo pelo ralo do adultério, brigas, agressões no lar, por falta de ministros para ajudar na reconciliação.

Quer um bom conselho? Não deixe pessoas demais se meterem em seu namoro. Você tem o pastor da sua igreja, os seus pais, os pais da outra pessoa, e um ou outro raríssimo amigo que você pode confiar. Não transforme sua vida, muito menos seu relacionamento, em um livro aberto para pessoas que em nada irão acrescentar. Apenas querem fuxicar a sua vida e comentar com outros, com palavras de condenação, e se sentirem os "procurados" para conselhos. Na verdade estas pessoas é que fazem as inúmeras perguntas. A maioria só sabe falar de "vigilância" porque sabem da ansiedade da juventude pelo sexo. Um falso moralismo que é mais para uma glória pessoal do que uma real preocupação com o casal.


Ex-namorado(a)

Evite falar de "ex". Principalmente falar mal. Primeiro que a bíblia condena falar mal do próximo. ("Irmãos não faleis mal uns dos outros". Tiago 4:11) Segundo que se a pessoa fala mal de "ex", você já não pode confiar muito, pois nenhum namoro é certeza de casamento, e provavelmente, com o fim do relacionamento, também vai falar de você. E por mais que o que a pessoa fale seja verdade, os nossos lábios devem abençoar o nosso próximo, desejar que a outra pessoa mude, melhore, se corrija. 

O dever do cristão para com o(a) ex-namorado(a) é orar para que o(a) "ex" encontre alguém que seja feliz com ele(a). A maioria dos que esculacham alguém que já namorou o faz com ódio, com desejo de vingança, sentimento de perda, mágoas, etc. É incrível como as pessoas falam tanto de "santidade no namoro" e não veem este tipo de pecado. Amaldiçoar os irmãos não é encarado por muitos como um grave pecado no namoro.

Perguntas

pecados do namoro cristao
Não faça perguntas inúteis no começo do namoro, que só irão trazer constrangimentos desnecessários. O rapaz que pergunta: "-Você é virgem?" no início do namoro é um equivocado com relação a convivência. Não resolve nada este tipo de questão. A maioria das jovens da igreja irão responder que "sim", são virgens, "diante de Deus", mesmo que já tenham fornicado inúmeras vezes. Procure, antes disso, saber o caráter da pessoa, se ela tem afinidades com você, se não é mentirosa, fofoqueira, vingativa, religiosa ao extremo (o que para Deus não diz nada) e analisar se a pessoa serve para viver com você o resto de sua vida. 

A maior frustração de muitos maridos é se casarem e terem pensado que a virgindade da moça seria o segredo para uma vida feliz, sem brigas, e seriam uma bênção "até que a morte os separe". Quando o jovem amadurece o sentimento, casa-se até com uma pessoa que já tem filho. 

Toda aquela interpretação que ele tinha da vida muda, "cai a ficha", e ele começa a ver a vida como realmente ela é. Outra pergunta feita inutilmente é se a pessoa ora, lê a bíblia, se preocupa com a obra de Deus. Estas coisas se vê na pessoa. Ninguém irá responder: "-Não me preocupo com nada da igreja....estou ali enganando todo mundo". Apenas observe se a pessoa realmente é cristã.

Diálogo

cristao evangelico namorar ou ficar
Para saber se o seu futuro será bom com esta pessoa, converse, converse e converse. Observe o comportamento, como a pessoa se porta nos lugares, como cumprimenta e é cumprimentada. Lembre-se: esta será a pessoa que você vai conviver para o resto de sua vida. Mas não enlouqueça preocupado(a) com isso. Há atitudes da pessoa que podem te assustar, mas que você pode dialogar com ela, e se realmente a pessoa gosta de você, se quer construir o amor no relacionamento, irá melhorar para não te ver magoado. 

Relacionamento a dois é eternamente um abrir mão de coisas em favor da outra pessoa. E se há amor, isso não será encarado como sacrifício, mas como um prazer em ver a outra pessoa feliz. Muitas vezes a pessoa não é uma "leviana", mas é acostumada a viver sem compromisso de namoro, estava sozinha durante um tempo, e acostumou a conversar com muitos amigos(as), e geralmente isso gera não somente ciúmes, (o que pode até ser discutido, resolvido), mas o pior: ruins suspeitas, o que rapidamente leva ao fim do namoro. Muitas vezes, o que poderia ser um lindo relacionamento, abençoado, é rompido por uma interpretação precipitada sobre o comportamento da outra pessoa.

como deve ser o namoro santo

Exposição

casal namoro evangelico
Não se exponha demais no começo. Mesmo em um namoro assumido, com aprovação dos pais. Ficar constantemente em praça pública, frequentar eventos lotados, não irá "selar" um futuro matrimônio. Há pessoas que querem forçar uma situação quando nem conhecem direito a outra pessoa. Durante boa parte do namoro, em especial o início, mesmo que sem querer, as pessoas usam uma espécie de "máscara". Isso também não pode ser encarado rigorosamente como uma "falsidade", mas um instinto natural em querer agradar ao parceiro. É o medo de não se passar por "pessoa chata" logo de início. Em todas as opções, gostos, impera a conhecida frase: "tudo bem", até que, com o tempo, se manifestam as verdadeiras opiniões.

O excesso de exibição pública logo no início traz um risco: se o namoro terminar, o casal fica "marcado", como se um fosse 'do outro'. A super exposição cria uma corrente que aprisiona o casal, no receio de ficarem mal falados na família e/ou igreja. Na mente dos dois há vários planos de como terminar um namoro que não está dando certo, mas acabar algo que já envolveu muita gente, elogiando e se oferecendo para apadrinhar o futuro enlace matrimonial, que encerrar tudo seria uma vergonha. Passam agora a viver um dilema, se terminam ou não o namoro! A cada pessoa que encontram na rua, que elogia o casal, o constrangimento em acabar fica maior. "Vai que é de Deus?!" Fica a dúvida atormentando.  

"Ficar" é pecado??

namorar ficar cristao evangelico
Protagonistas em cultos de jovens enaltecem a importância da santidade no namoro condenando asperamente os jovens que apenas "ficam" com alguém, ao invés de iniciarem logo o namoro assumido publicamente. Afirmam, com absoluta certeza que, se você beijar alguém na boca, e no outro dia isso não se transformar em um namoro oficial, você cometeu um grave pecado, pois "ficou" com alguém. Difícil é entender como a pessoa vai conhecer alguém melhor, ao menos nos primeiros dias (pois "conhecer" é um processo mais demorado), se não demonstrar que tem interesse em namorar, se nem ao menos der um beijo na outra pessoa?! 

Todo mundo "fica" antes de oficializar um namoro! Santidade não pode ser confundido com formalidade. Se o seu objetivo é o de casar, e não apenas viver beijando pessoas a esmo, sem propósitos, você não está pecando. Se você ocasionalmente vier a beijar alguém, e perceber que aquela pessoa nada tem a ver com você, isso é um "ficar". Nunca foi, não é, e nunca será pecado. Ficar com uma pessoa para se vingar de outra, "matar" a solidão, passar o tempo, tentar esquecer outra, aí sim se torna um pecado. Você está usando, brincando com o sentimento alheio.

Um preparado para o outro. Revelações.

casamento de evangelicos
Estas histórias de "fulano é a pessoa escolhida por Deus para ciclano", é uma ilusão. Quem escolhe ou decide se casar é o casal, e não Deus. O Senhor pode abençoar a união, mas nunca fazer a escolha. Senão, onde fica o livre-arbítrio que Deus deu as suas criaturas?! "Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne". (Gênesis 2:24) Igualmente as pessoas que casam por "revelação". A mais sólida revelação se um namoro é da vontade de Deus é se os dois querem, e se há amor. 

O namoro para o jovem cristão é um celeiro de dúvidas, pois está sempre querendo saber, mesmo com tudo dando certo, se é da "vontade de Deus". Oram, jejuam, mas diante da primeira briga, pensam: "Será mesmo de Deus?" Isso acontece todos os dias, em todos os lugares, em todas as igrejas. E é difícil para o jovem discernir a vontade divina quando a emoção fala mais alto. Daí, como última solução, as "irmãs de oração" são procuradas por centenas de casais de jovens para orar e ver "se Deus fala alguma coisa". Os equívocos logo surgem quando algum profeta fala mais do que devia, e afirma, sem ter visto nada, que "Deus está preparando o casamento"

Não pode existir uma situação em que você gosta de uma pessoa, e mesmo que ela seja uma bênção, séria, honesta, fiel na vida cristã, Deus lhe dizer: "Não é da minha vontade!" Se ambos estão se gostando, isso não existe!!! Isso é "profetada" de quem está com inveja. Afirmar: "Eis que a tua escolhida ainda está sendo preparada, é outra" não tem respaldo bíblico. Muitas vezes um jovem está gostando de alguém, e fica baseando a sua esperança em revelações e visões. Acredito nos dons, e creio que Deus possa mesmo revelar e falar com seus servos, mas Deus nunca nos deixará confusos, pois "Deus não é Deus de confusão". (1º Coríntios 14:33)

Palavras proféticas. "Fulano é meu".

como saber se namoro e de deus
Há muitos irmãos que fazem as chamadas declarações proféticas. "Fulana vai ser minha". "Beltrano já é meu". Isso não é pedir direção à Deus, e sim querer ver acontecer a sua própria vontade. Já imaginou se uma pessoa, que você não se agrada nem um pouco, começar a orar e pedir VOCÊ a Deus?! A oração desta pessoa deve ser atendida?? Claro que não! O que as pessoas devem é confiar em Deus, e não em seus próprios julgamentos. Você, jovem cristão, deve ter, muito antes do que fé que fulano será seu ou sua, respeito mútuo, amor, sinceridade, companheirismo, e tudo o que edifica para um futuro casamento com bases sólidas. Fazer estas declarações jamais irá modificar o livre-arbítrio de cada ser humano. Entregue nas mãos do Senhor, pois, com toda certeza, se esta pessoa não ser sua futura esposa ou esposo, Deus irá lhe orientar para você conhecer alguém melhor.

Atração física

Quem criou o desejo por sexo no homem e na mulher foi Deus, e não o diabo. Em São Paulo conheci um casal de namorados de uma igreja que a cada 5 minutos, repetiam: "O sangue de Jesus tem poder!" Disseram que a todo instante recebiam "setas" do demônio na carne fazendo eles terem desejo por sexo. Se um casal que se gosta, se acham bonitos, me disser com sinceridade que se abraçam, se beijam, e não sentem nada, eu os aconselharia a procurar com urgência um médico. 

como deve ser o namoro cristão
É obvio que, sendo namorados, ainda não casados, devem negar a si mesmo, e esperar o casamento para terem relações. Mas clamar o "sangue de Jesus" e dizer que "o demônio" lança "setas" com desejos sexuais, é de uma ignorância inigualável. Ao conversar com este casal, eles relataram que um profeta assim os orientou, e eles já não suportavam mais ter que viver clamando toda hora o sangue de Jesus, e que nada daquilo estava adiantando, pois continuavam a sentir os mesmos desejos. 

Todos nós temos fantasias, e imaginamos as formas e lugares onde poderíamos estar fazendo sexo com a pessoa amada. Isso é natural do ser humano. Não é coisa do diabo, seta do demônio, etc. Muitos jovens chegam a igreja se culpando, se condenando, por ficarem excitados com o(a) namorado(a). Deus criou os seres humanos com estes desejos. Porém nós oramos e vigiamos até o casamento, pois sabemos da fraqueza da carne. A vigilância dos jovens não deve ser somente no namoro, e sim em todo lugar. Há rapazes que caíram no pecado da fornicação com colegas de trabalho, amigas da faculdade, etc. Ou seja, a vigilância não se resume somente ao namoro, mas em toda convivência entre um homem e uma mulher. Ficar excitado e sentir o desejo por sexo com a pessoa que você namora só revela 3 coisas: 1. Você tem saúde. É uma pessoa saudável. 2. Você se agrada da outra pessoa. 3. Comece a orar para um possível futuro casamento com esta pessoa.

casamento evangélico

Brigas - discussões

Mesmo entre um casal que se ama sempre haverão desentendimentos. Ser "da vontade de Deus" não significa que a vida a dois será "um mar de rosas". O fator convivência tem as suas complexidades. Mesmo que o céu se abra, e em uma voz estrondosa, com trovões, Deus afirme para você: "Meu servo, o seu namoro é da Minha vontade", a moça não será a princesa do castelo e o rapaz também não será o príncipe no cavalo branco. No dia-a-dia as lutas e dificuldades serão as mesmas de qualquer casal normal. "A chuva cai sobre justos e injustos". (Mateus 5:45) 

os erros do namoro cristão

Em um namoro, com o tempo, as brigas surgirão. Pessoas sinceras tem opinião, personalidade, e discutem. E diante disso, o alerta de algumas pessoas sempre é: "Se está assim agora, imagina depois de casado!" Esse é um julgamento totalmente equivocado. Muita coisa muda quando se casa. Já acompanhei casais de jovens que tinham um comportamento exemplar. Calmos, tranquilos, quase nunca brigavam, e no entanto não conseguiram ficar nem 2 anos casados. Veio a separação. 

Ser calmo é uma personalidade do ser humano, que um não-cristão também pode ter, e isso não significa que a pessoa é "uma bênção". Um psicopata tem traços de comportamento calmo em várias situações de sua vida. Desconfie de pessoas quietas demais, que não se manifestam diante de algo que naturalmente uma pessoa sentiria indignação. Com toda certeza ela está escondendo algo. Ficar indignado não é pecado. Ira, ódio, raiva, é uma coisa. Indignação é outra totalmente diferente. 

namoro com santidade
Óbvio que se as brigas forem demais, agressões verbais (principalmente físicas), e não chegarem nunca a um entendimento, o mais correto será terminar o namoro. Geralmente em uma discussão alguém está errado. Não pode existir, em uma discussão lógica, os dois estarem certos, ou os dois estarem errados. 

Os conselheiros de plantão chegam a afirmar, apaziguando o casal, que "os dois estão errados" para não ficarem mal nem com um nem com o outro. Até porque se meter no meio de uma discussão de casal, é como lavar as mãos com álcool perto de uma fogueira. Você acaba sempre se queimando. Nestas discussões alguém errou, e não está sendo humilde o bastante para confessar. É uma questão a ser resolvida entre os dois, e não que isso represente a reprovação de Deus no relacionamento.

namoro com santidade

Fazendo "prova" com Deus

Há pessoas que, quando se apaixonam por alguém, beiram quase a loucura. Parece coisa de adolescente, naquela fase ainda "cheirando a fraldas". E uma das coisas que mais atribula nesta fase de "paixonite aguda" é a "loteria" que esta turminha faz na mente, imaginando situações que, segundo eles, são o "sinal" de que "Deus está no negócio"

Na imaginação de algum jovem apaixonado por uma moça do grupo jovem, ele faz uma pequena oração em pensamento, e arrisca: "Se fulana apertar a minha mão no final do culto, é a prova de que ela vai casar comigo". Ou no caso da jovem: "Se fulano for hoje na reunião de oração, é porque Deus aprova....se me telefonar".... É tanta aposta em circunstâncias, que se esquecem do mais importante: o amor. 

oração por namorada cristã
Pode acontecer tudo que a pessoa fizer como "prova", mas se não tiver amor, nada disso terá valor. Este tipo de "teste" não é uma oração. Deus está longe de toda essa maluquice. Isso é emoção, sentimento, desejo, ansiedade, e os jovens ficam confusos porque muitas vezes as coisas que eles "oram" (fazem a provinha) acontecem, e na conclusão, quando pensam que vão começar um namoro abençoado por Deus, tudo dá errado. Deus não trabalha pela metade. 

Conclui-se então que Deus não tem nada a ver com todo este carnaval de emoção. Fatos e situações da vida acontecem por coincidência, e muitas vezes até o inimigo, já sabendo que o jovem está caído de paixão por uma pessoa, cria circunstâncias para confundir o cristão que não entrega as suas ansiedades nas mãos de Deus.

como deve ser o namoro santo

A mentira

Se há uma coisa que o casal cristão deve repudiar radicalmente no relacionamento é a mentira. O pecado que as pessoas mais se escandalizam é o da área sexual, condenando severamente quem "caiu" em fornicação. Enquanto isso a mentira, a fofoca, o uso de má fé, a desonestidade, a falsidade, reina em lares, e no casal de namorados isso é um veneno que mata a confiança. 

Quando um questiona uma mentira, acaba sendo taxado, por pessoas que não sabem de nada do que acontece entre o casal, de ciumento(a), possessivo(a), etc. No contraste com a atual interpretação sobre "pecado" dos religiosos, Jesus perdoa uma mulher pega no flagrante adultério, impedindo que ela seja apedrejada (João 8). Alertou para ela não pecar mais, claro. Mas quanto aos religiosos do templo, que usavam da mentira, Jesus os condena: "Vós tendes por pai o diabo". (João 8:44)

pecados do namoro cristao

Conclusão

Relacionamentos nós construímos, mantemos, não cai do céu. A oração e jejum são importantes? Claro que são! Quem disse que não?! É a base de sua vida. O cristão que não ora está morto espiritualmente. Mas diante dos problemas do dia-a-dia você não vai ficar orando 24h sem parar, ou clamando o "sangue de Jesus", ou repreendendo demônios. 

Devemos ter a mente de Cristo, mas os pés no chão. A igreja, por exemplo, tem o lado espiritual, quando cultuamos, oramos, assim como também há a administração eclesiástica, pelo pastor, obreiros, secretários, zelador, etc. Além do lado espiritual em nossa vida, temos também o lado material, a vida, o corpo, a carne, pois ainda não fomos arrebatados. 

namoro e da vontade de deus
Escrevemos o nosso livro da vida com as nossas decisões, atitudes, que vem das escolhas que fazemos. Que em nossa vida não venhamos a tomar atitudes desastrosas, sem pensar, deduzindo apenas que "tudo está nas mãos de Deus", pois antes de você entregar a sua vida e o seu namoro nas mãos de Deus, antes Ele entregou nas suas mãos as suas escolhas e decisões. 

Se você for uma pessoa de oração, honesta, sincera, amorosa, que se preocupa com o seu semelhante, que abençoa o seu próximo, que quer ver bem os seus irmãos em Cristo, com certeza você terá atitudes que irão trazer resultados positivos, e as bênçãos do Senhor serão sempre sobre a sua vida. E mesmo que você tenha se frustrado, se decepcionado com alguém, se acalme. Deus ainda tem o melhor para você. Se no fim nada deu certo, é porque ainda não chegou o fim.

"O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta".
(1º Coríntios 13:4-7)

Denis de Oliveira é Pastor da Igreja Assembleia de Deus, Ministério Poder de Deus, RJ.